A dor neuropática surge como consequência direta de uma lesão ou doença que afeta o sistema somatossensorial.¹

Estima-se que a dor neuropática afete 7-10% da população europeia.²

A dor neuropática periférica (DNP) é uma síndrome de dor crónica que pode desenvolver-se após uma lesão ou doença que afeta o sistema nervoso somatossensorial periférico, ou induzida por toxinas e outras causas. As causas da DNP são diversas e podem ser classificadas conforme o dano ao nervo seja devido a um processo sistémico, como o causado por doenças, toxinas ou medicamentos, ou devido a um efeito secundário local de trauma, cirurgia ou cancro.³,⁴

O tipo mais comum de DNP é a neuropatia periférica diabética dolorosa, que afeta 60-70% dos indivíduos com diabetes. Em termos de prevalência, destaca-se ainda de 30-40% em doentes oncológicos e em quimioterapia, 33% em caso de doentes com infeção VIH/SIDA e 23% dos doentes com dor de origem idiopática (de causa não identificada).⁵

As condições de DNP são altamente prevalentes, representando cerca de 40% de todos os casos de dor crónica.⁶

Qual a sua origem?⁷,⁸

Aproximadamente 90% dos casos de dor neuropática têm origem no Sistema Nervoso Periférico: são os casos da nevralgia pós-diabética, nevralgia pós-herpética, nevralgia pós-traumática.

Os 10% dos restantes casos têm origem no Sistema Nervoso Central secundário e estão relacionados com Acidente Vascular Cerebral, Esclerose Múltipla e Doença de Parkinson.

Quais as causas?⁹,¹⁰

As síndromes de dor neuropática são distúrbios de dor crónica causados ​​como consequência direta de uma lesão ou por doenças das partes do sistema nervoso que normalmente sinalizam dor. Abrangem um grupo de condições heterogéneas, que podem ser causadas por problemas de saúde, determinados medicamentos ou traumas. No entanto, em certos casos, nenhuma causa pode ser identificada e isso é conhecido como neuropatia idiopática.

Como é diagnosticada?²,¹¹

A dor neuropática é de difícil reconhecimento e, portanto, é uma condição de saúde considerada subdiagnosticada. Há vários questionários e testes que são feitos pelos profissionais de saúde. Alguns são muito simples e são realizados para detetar se o doente apresenta:

    • Alodinia: dor provocada por um estímulo que normalmente não é doloroso
    • Hiperalgesia: aumento da resposta à dor
    • Hiperestesia: sensibilidade aumentada
    • Hipoalgesia: diminuição da sensibilidade a estímulos normalmente dolorosos
    • Hipoestesia: diminuição da sensibilidade
    • Disestesia: sensação desagradável e espontânea
    • Parestesia: sensação anormal espontânea e não desagradável
    • Anestesia dolorosa: dor na zona anestesiada
    • Nevralgia: dor na área inervada por um ou mais nervos
    • Hiperpatia: hiperalgesia, hiperestesia, disestesia, limiar de dor aumentado por estímulos repetitivos
    • Radiculalgia: dor ao longo da distribuição de uma ou mais raízes sensoriais
    • Ponto-gatilho: área hipersensível, localizada no músculo ou tecido conjuntivo

Como é a dor neuropática?

Os doentes referem este tipo de sensações ao falar da sua dor¹¹:

“Adaptado de Haanpaa M, et al. 2010”

Referências:

1. Treede RD, Jensen TS, Campbell JN, et al. Neuropathic pain: redefinition and a grading system for clinical and research purposes. Neurology. 2008;70(18):1630-1635.
2. Mick G, Baron R, Finnerup N.B., et al. What is localized neuropathic pain? A first proposal to characterize and define a widely used term. Pain Manage. 2012;(1):71-77.
3. Colvin LA, Dougherty PM. Peripheral neuropathic pain: signs, symptoms, mechanisms, and causes: are they linked? Br J Anaesth. 2015;114(3):361-363.
4. Baron R, Maier C, Attal N, et al. Peripheral neuropathic pain: a mechanism-related organizing principle based on sensory profiles. Pain. 2017;158(2):261-272.
5. The Foundation for Peripheral Neuropathy. What is peripheral neuropathy? 2016. Disponível em: https://www.foundationforpn.org/what-is-peripheral-neuropathy/types-risk-factors. Acedido em maio 2021.
6. Sicras-Mainar A, Rejas-Gutiérrez J, Perez-Paramo M, et al. Cost of treating peripheral neuropathic pain with pregabalin or gabapentin at therapeutic doses in routine practice. J Comp Eff Res. 2018;7(7):615-625.
7. González-Escalada JR, Rodríguez MJ, Camba MA, et al. Recomendaciones para el tratamiento del dolor neuropático. Rev Soc Esp Dolor. 2009;16(8):445-67.
8. Dray A. Neuropathic pain: Emerging treatments. Br J Anaesth. 2008;101(1):48-58.
9. Baron R. Mechanisms of disease: neuropathic pain–a clinical perspective. Nat Clin Pract Neurol. 2006;2(2):95-106.
10. National Health Service. Peripheral neuropathy causes. 2019. Disponível em: https://www.nhs.uk/conditions/peripheral-neuropathy/causes/. Acedido em maio 2021.
11. Haanpaa M, Treede R.D. Diagnosis and classification of neuropathic pain. IASP Pain clinical updates. 2010;XVIII(7).