Dia Mundial do Médico de Família

Artigo de Opinião de José Roriz, Country Manager da Grünenthal Portugal

Em Portugal, a dor é o principal condição que leva o doente a procurar os Cuidados de Saúde Primários (CSP). Estima-se que, atualmente, três milhões de portugueses vivem com dor crónica, uma epidemia silenciosa, mas grave e complexa.

Dados do estudo “Chronic Pain Care – Prevalência e Caracterização da Dor Crónica nos Cuidados de Saúde Primários, promovido pela Grünenthal, revelam que a dor crónica afeta cerca de 33%1 dos indivíduos seguidos nos CSP. Em média, de acordo com o mesmo estudo, o diagnóstico de dor crónica demora quatro anos após os primeiros sintomas, e a doença provoca um elevado impacto psicológico e emocional nos doentes.
Estas conclusões demonstram o papel basilar da Medicina Geral e Familiar na gestão do doente com dor crónica e a necessidade cada vez maior de encararmos a dor como uma prioridade nos CSP. O médico de Medicina Geral e Familiar é, na maior parte dos casos, o primeiro contacto do doente e a “porta de entrada” no Serviço Nacional de Saúde.

Tendo a capacidade de avaliar o doente globalmente e uma proximidade privilegiada com a comunidade, o seu contributo é decisivo em todas as fases, desde a prevenção ao tratamento da dor. Neste contexto, sublinhe-se ainda a importância da comunicação entre médico e doente, essencial para a definição de objetivos terapêuticos realistas e para uma gestão da dor que permita ao doente manter a sua funcionalidade e qualidade de vida.

Porque acreditamos que é possível melhorar a vida dos doentes com dor e reconhecemos o papel preponderante do Médico de Família na missão de travar a progressão desta patologia, na Grünenthal também continuamos a promover ações formativas e de sensibilização, que apoiem estes profissionais na sua prática clínica diária.
Neste Dia Mundial do Médico de Família, 19 de maio, agradecemos o esforço e a dedicação demonstrados pelos profissionais de Medicina Geral e Familiar, sendo peça-chave na melhoria dos cuidados de saúde de todos os portugueses.

Referências

  1. Antunes F, et al. Prevalence and Characteristics of Chronic Pain Among Patients in Portuguese Primary Care Units. 2021 Dec;10(2):1427-1437. doi: 10.1007/s40122-021-00308-2. Epub 2021 Aug 28

Leave a comment